Porque a medicina “não funciona”?

Infelizmente uma frustração recorrente.

Hoje em dia encontramos cada vez mais postagens online (e mais relatos em consultório) sobre doenças para as quais não se tem tratamento, ou sobre pessoas que já passaram por diversos médicos, e utilizaram diversos medicamentos e que continuam com seu problema.

Tendinites que não melhoram, dores nas costas que não resolvem nem com injeções ou analgésicos potentes, ansiedade que não resolve mesmo com vários tipos de medicamentos associados, fibromialgia de difícil controle, queimação no estômago que fica cada vez pior, diabetes que não baixa (mesmo com doses elevadas de insulina), insônia que só se resolve com remédios tarja preta…

O que está acontecendo?

Não são os medicamentos que estão parando de fazer efeito. Somos nós que estamos buscando os tratamentos nos lugares errados. 

 
Não existe remédio que substitua uma vida equilibrada. Não existe medicamento, ou procedimento médico que vá resolver todos os nossos problemas. A maioria dos nossos tratamentos está na correção dos erros que repetimos dia após dia.

Erros alimentares, com excesso de alimentos que aumentam nossa glicemia, que agridem o nosso estômago, que elevam nossa pressão.

Exercícios repetitivos no nosso trabalho, muitas vezes associados a falta de atividade física direcionada e alongamentos.

Falta de tempo para comer direito, se hidratar direito, se manter acordado sem a necessidade de café a todo momento.
 
 
Não tem remédio pra isso.
 
 
Um comparativo seria pensar numa pessoa que todos os dia coloca sua mão no fogo, e depois pede remédio para queimadura. Qual é o melhor tratamento? Parar de colocar a mão no fogo, oras! Pomada nenhuma vai resolver a agressão repetida dia após dia.
 
Mas este não é um texto sobre como você está cuidado mal da sua vida, e sim sobre como é difícil cuidar corretamente da nossa saúde.
 
Não é só você que não está conseguindo dormir direito, se alimentar direito, se hidratar direito, fazer atividade física, dar atenção aos filhos, pagar as contas, e ter um tempo de lazer para sua saúde mental.

Ninguém está conseguindo. 

O simples fato de ter um trabalho de 8 horas diárias já incapacita uma pessoa a realizar tudo isso. (se formos pensar em 30 min de deslocamento, + 1 hora de almoço, esta pessoa gasta 10h por dia com seu trabalho) 8 horas deveriam ser para sono, então sobram 6 horas para fazer tudo o que é preciso para cuidar da sua saúde (sem contar tomar banho, idas ao banheiro, cortes de cabelo e outros cuidados pessoais, responder e-mails e mensagens, cuidar da casa, colocar gasolina no carro, levar o carro para revisão, virar o colchão cada mês, trocar o filtro de água a cada mês, manter contato com os amigos, cuidar do jardim/plantas/animal de estimação, ir ao mercado, eventualmente passar na farmácia…)
 
Na prática, é humanamente impossível.
 
Então, antes de mais nada, pare de se autoflagelar mentalmente por não estar conseguindo fazer tudo o que gostaria. Nenhum de nós está conseguindo. Este peso e culpa só aumentam o seu nível de desgaste. O que pode ser interessante é identificar suas prioridades atuais: o que pode estar lhe causando mais transtornos, ou que irá trazer mais complicações no futuro? Será que com 15 minutos a menos na internet, você não conseguiria ajustar uma parte mais crítica do seu dia a dia, por exemplo? Um bom Médico de Família pode lhe ajudar a identificar áreas que merecem maior atenção no momento, para lhe ajudar neste planejamento.

Nossa sociedade precisa mudar. Sim, esta seria a mudança mais saudável, com controle do consumismo desenfreado, redução dos nossos horários de trabalho semanais, e ajuste das nossas perdas de tempo. Enquanto isso não acontece, porém, devemos lembrar que enquanto a vida avança, precisamos refletir sobre onde ela está nos levando. Continuar forçando seu braço para não deixar o patrão na mão pode fazer você ter dores para o resto da vida, no futuro. Manter uma alimentação inadequada “porque não dá tempo” pode causar gastrite, pressão alta, diabetes – doenças estas que não serão controladas facilmente enquanto não resolvermos a causa base. Manter uma rotina de estresse pode te levar facilmente para distúrbios depressivos ou ansiosos, se não houver cuidado.

E você, já parou para refletir onde o seu dia a dia está te levando?

Ficou claro? Tem algo a acrescentar? Deixe seu comentário.

Lembre-se de que você pode nos seguir também no Facebook, no Youtube e no Instagram.

Eu vejo vocês na próxima, no Doutor Informação.
Porque conhecimento é o melhor remédio.

Agende a sua consulta em casa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *